O CONTROLE EMOCIONAL E OS RELACIONAMENTOS


Quantas vezes em nossa rotina nos deparamos com situações que nos fazem sentir uma emoção e agir de acordo com ela?

Você deve ter pensado em situações específicas que geraram emoções fortes, positivas ou negativas… Mas se prestar mais atenção, agir de acordo com nossas é algo que acontece a todo momento.

Um dia pode ser ruim sem ter nenhum grande motivo específico… Ele só começou ruim, e você ficou mau humorado, e então todas as atitudes e pensamentos que teve durante o resto do dia foram afetados por isso. Pode acontecer, não é mesmo?

Se essas emoções que nos atingem o tempo todo influenciam nossas ações, certamente influenciarão nossas relações

Devemos lembrar que relação não é apenas amorosa. Nós nos relacionamos com tudo e todos a nossa volta: temos um relacionamento com nossa mãe, um com nosso pai, um com cada amigo e amiga, um com nosso bicho de estimação, nos relacionamos até com nossas coisas, criando apego emocional a elas. E nos relacionamos, também, com nós mesmos, com as nossas questões, com nossos fantasmas, nossos medos, nossos sonhos, enfim.

Agimos diferente em cada uma dessas relações, pois cada uma gera uma emoção, um sentimento diferente.

Vamos pensar naquela pessoa que está num mau dia, acordou já de mau humor e não viu nada de bom o dia todo. Quando sua família deu bom dia de manhã, ela ignorou. Seus filhos ficaram tristes achando que haviam feito algo de errado. Sua esposa (ou esposo)

também ficou triste, pois queria muito dar uma notícia, mas acabou se calando para não incomodar. Ela calou a notícia e a emoção que sentiu.

Então, a pessoa mau humorada sai para trabalhar. No caminho, xinga todos no trânsito, quase arruma uma briga. O que essa pessoa não sabe é que passou por um jovem que acabou de tirar carta e está morrendo de medo de dirigir, e que por causa dele, acabou passando mal e está pensando em desistir. Ela também não sabe que, aquela pessoa com quem quase brigou no trânsito era uma mulher que estava muito transtornada, pois seu filho está doente no hospital. Para aliviar suas emoções, ela acabou respondendo aos

xingamentos da pessoa mau humorada, e ficou ainda mais angustiada.

E assim o dia vai, com o mau humor dessa pessoa influenciando todos com que se

relaciona durante o dia, e gerando muitas emoções e ações ruins.

Como essa história poderia ser diferente? Bom, essa pessoa, ao acordar e perceber que estava de mau humor, poderia ter se perguntado o que a deixou assim. Sabendo ou não a resposta, poderia ter olhado de forma diferente para isso e pensado em não deixar que seu humor estragasse o resto do dia. Assim, quando sua família desse bom dia, seus filhos poderiam dar um abraço apertado, e sua esposa (ou esposo) poderia ter dado a notícia de que ganhou um jantar com tudo pago para a família, e que valia apenas para aquele dia. Tudo isso, com certeza, mudaria o dia dessa pessoa, e ele seria paciente no trânsito, o que ajudaria o jovem recém-habilitado a ter mais confiança, e a mulher com o filho no hospital a não se preocupar com mais nada.

Apenas uma mudança de atitude, uma mudança de ponto de vista, já serve para mudar tudo a nossa volta. Isso é controle emocional, reconhecer suas emoções, perceber se

aquilo pode afetar alguém de forma negativa, e tentar olhar de outra forma. Mudar

Quero deixar apenas um alerta: controle emocional não é o mesmo que guardar tudo para nós mesmos. Se guardamos muito, uma hora não cabe mais e então explodimos, fazendo um estrago maior. Controle emocional é também reconhecer que precisa desabafar, seja com um amigo, com um familiar, com um psicólogo, com um desconhecido que sentou do seu lado no ônibus, ou até escrevendo em um caderno.

A mudança sempre vem de dentro para fora. Por isso, olhe sempre para dentro,

reconheça o que tem ali. Veja quais são as opções, o que pode fazer com aquilo. E então, seja a mudança que você tanto quer naquele dia, naquele momento, na sua vida.

#conflitos #dificuldades

Posts em destaque
Posts recentes